Viagem um

Compartilhe:

não basta

construir o que se pensa com palavras

as palavras servem para arrumar os sonhos

enquanto os grãos de areia se juntam

 

não me perguntem os motivos da grande Muralha da China

nem do tempo que foi edificada

essencial foi o sangue derramado

e as gerações que foram consumidas

e o sacrifício?

onde ficou o sacrifício diante da desolação

as pedras escuras e lodosas, a grandeza das pirâmides silenciosas

simplesmente tudo e nenhum sacrifício

o homem diante da glória e do equilíbrio

o sentimento de se criar a eternidade

de se ligar os mundos com as idades

a vastidão do sonho largo e solto.

 

poesia de janeiro de 2007 (confucio)

 

 

Compartilhe: