Uma cidade chamada – “Palácio Rio Madeira”

Compartilhe:


Com todos os prédios do Palácio Rio Madeira ocupados, a sua população fixa será de 6 mil servidores, todos os dias. E sem contar com os visitantes e  autoridades do interior do Estado. É muita gente por ali. Eu quero pedir aos servidores, e a quem possa liderar este movimento, para iniciar e lá na frente, tudo dará certo.  É o projeto para compartilhamento. A formação de grupos no Facebook ou Whatsap, os mais diversos possíveis, tudo isto visando a melhorar a vida das pessoas, a dividir despesas, coisas e serviços. Enfim, formação de redes de interesses comuns.palacioriomadeira.pelocenáriodesolaofundo

Vamos ver como? 

1- Os cantores, músicos, os festeiros – para alegrarem uma vez por semana todas as secretarias. Surpreenderem as pessoas. Entrarem no ambiente cantando ou tocando seus instrumentos. 

2- Compartilharem os veículos –  formação de grupos de servidores que moram no mesmo bairro, para virem e voltarem num mesmo carro e fazerem rodízios. Objetivo é gastar menos com combustível.

3- Roupas e sapatos  – um bazar de roupas e em algum lugar visível no entorno do prédio, para compartilharem roupas usadas e úteis, fazer rodar o guarda-roupa, venderem ou trocarem.

4- Remédios – os grupos que possam compartilharem medicamentos de uso continuado. Porque todo mundo tem um caixa de remédio em casa, que tomou um ou dois comprimidos, e está por lá sem nenhuma serventia.

5- Grupo dos Financistas ou Rentistas – Na criação de entidades e ou cooperativas para crédito e ou na troca de valores,penhoras e tudo que vier, de maneira criativa, movimentar a economia interna e ajudar a que esteja endividado ou queira iniciar um pequeno negócio. E ainda no compartilhamento de informações para negociações de dívidas e equilíbrio doméstico das finanças.

6- Grupo dos DAF (Diretores administrativos e financeiros) para troca de idéias e tirar dúvidas. Um ajudar o outro. A criatividade em sistemas de informações e dados para agilizarem aposentadorias em tempo em uma semana. 

7- PRÓ-SAÚDE ALIMENTAR – aqui, o modelo é mundial. Tem uma feirinha da Emater bem à frente do prédio.  Poderia grupos de funcionários, que desejarem alimentos naturais e podendo evoluir par o orgânicos, estabelecerem uma relação comercial com pequenos produtores. Que farão a entrega das cestas de produtos padronizados, toda semana, com pagamento fixo pré-estabelecido. A riqueza de produtos ribeirinhos, frutos, farinha, peixe, legumes e verduras. Uma riqueza fantástica. Puxem na Internet o  modelo.  Genial.

8- Grupo dos Separados, desquitados e divorciados – compartilharem as experiências e quem sabe, não vai rolar um clima muito especial?

9- O grupo dos sarados e saradas – compartilharem a mesma academia e negociarem preços melhores para o grupo. A troca de informações sobre dietas, calorias nos alimentos, receitas e ajuda mútua para manterem corpos lindos e maravilhosos. 

10- O grupo do coral –  por que não? Formar o coral do Palácio Rio Madeira. Vamos começar?

11- Compartilhar ajuda e apoio uns aos outros. A tristeza, solidão, a insônia, a dificuldade, a falta de paciência – aquele apoio, a ajuda, a força de um para o outro. Como se diz, a terapia comunitária. As rodas de conversas. É por aí.

12- Compartilhar moradias, salas e apartamentos – o mundo está se abrindo. Formar grupos. Por que pagar aluguel não é fácil.  Se puder e for conveniente voltar aos tempos das “repúblicas”, modelo dos estudantes que moram fora de casa. Objetivo – casas em abrigos. 

Aí estão, inicialmente, os doze mandamentos para início do trabalho. Depois virão os “insights” e dezenas de outras propostas surgirão. Vamos lá, gente!

 

Compartilhe: