Pau D’Óleo (poema)

Compartilhe:

 

És tudo, assim, impositiva/ Me submete e me faz refletir

Saio da minha mesmice, rotina/Penso que sou dragão, pirata

Que tesouro vim roubar?/ Me perco com a equipe, as pessoas

maravilhosas e sabedoras de tudo/ Pendo-me à sabedoria da vida.

Quem sou eu, quem és tudo/ Vendo de longe, com tanta vontade

Vejo os jacarés, as aves, os búfalos/Esses que vem de outro planeta

fazer vida aqui.

Essa fronteira me mata de amor/ Gosto desse povo, as comidas e as músicas? És meu povo, sou teu.

O amor acessa temas que nos faz esmorecer/ Amigos fiz aqui. Quero voltar

Meus olhos amam esse lugar/ As árvores são mais vidas

Quero morrer aqui.

Venho do nada e saio com o todo!

És tudo, Pau D’Óleo.

Autor: George Braga

Agosto de 2017.

 

 

Compartilhe: