O homem desintegrado

Compartilhe:

Eu não tenho segredos com os meus projetos de futuro. De jeito nenhum. Porque tive pensando num megaprojeto de transporte em tempo real. Ninguém mais irá precisar de ônibus, automóvel e nem avião. Será a revolução do transporte ecologicamente correto. Vamos fazer de conta que você queira ir para Nova Iorque, bem rapidinho, numa velocidade de um e-mail. É comigo mesmo.

Vou pegar a fórmula de Einstein de que ENERGIA é igual a MASSA vezes a VELOCIDADE DA LUZ ao quadrado. Simples. Peso o camarada e vejo a massa dele. Coloco-o na máquina do tempo, dou nele um sopapo da velocidade da luz ao quadrado. Ele se transforma em energia (um fóton).  Basta ajustar o endereço de destino no GPS e clicar Nova Iorque e apertar o botão.

Zásssss!!!!!?

Já foi.

Pronto o camarada já está na Time Square. Sem nenhuma tonteira. Óculos escuro e tudo mais. Agora, só está me faltando a máquina da transformação, para fazer o inverso,  lá na chegada, a energia humana (o fóton) ser reincorporada e o sujeito voltar a ser gente. Outra dificuldade que ainda não encontrei solução, como levar a mala sem extraviar.

Pois bem, falta pouco, para que a minha geringonça esteja pronta. Estou precisando de voluntários. Você, por acaso, não deseja ser imortalizado, assim como Santos Dumont foi, e contribuir com o pregresso da ciência? É também, uma forma de sair da crise, bem mais rápido.

Compartilhe: